Como montar um e-commerce de sucesso

Possui um estabelecimento comercial, como uma loja de compressor de parafuso e quer ampliar os negócios com sua loja virtual? Surgiu a ideia de investir em um nicho pouco explorado no ambiente online? Antes de pensar em como montar um e-commerce, é importante ter em mente que, independente da natureza do negócio, existem pontos indispensáveis para seguir o caminho correto. Como as plataformas, os meios de pagamento, a divulgação online e a logística.

Quais os benefícios de montar um e-commerce?

Antes de mais nada, optar por um e-commerce se tornou uma das opções mais adotadas por empresas de todos os segmentos, sejam comércios, indústrias de tela de proteção para sacada  ou até mesmo uma empresas de construção civil.

Certamente, uma loja virtual oferece inúmeras vantagens e benefícios, tanto para a empresa quanto para os consumidores.

Uma das vantagens mais visíveis é a praticidade: enquanto para comprar produtos fisicamente é necessário se deslocar, gerando gastos e esforços, um e-commerce está sempre a disposição para receber pedidos a qualquer momento, e de qualquer lugar.

Além disso, um e-commerce também pode chegar a mais pessoas e ampliar a sua escala de clientes! Tudo dependerá dos objetivos e necessidades do seu negócio.

Agora que você já sabe que investir em um e-commerce de sucesso vale realmente a pena, o que acha de aprender como é possível montar esse modelo de negócios? Continue nos acompanhando!

Que plataforma utilizar?

A plataforma de e-commerce será a base de todo o negócio. Por isso, essa escolha deve levar em conta todos os objetivos da loja online como, por exemplo, a perspectiva de crescimento.

Neste post, no qual listamos as principais plataformas de e-commerce, colocamos alguns critérios que podem te ajudar neste processo:

  • A plataforma possui todos os recursos para estratégias de marketing digital?
  • A plataforma possui recursos de gerenciamento do negócio?
  • Ela acompanha as novas tecnologias?
  • O investimento na plataforma vai de acordo com o orçamento do projeto?
  • A plataforma irá acompanhar o desenvolvimento do negócio? Ela é escalável?
  • Ela faz integração com sistemas já utilizados na loja, como CRM ou ERP?
  • O servidor da plataforma irá trazer instabilidade para loja?
  • O suporte técnico é eficiente?
  • A plataforma aceita os diversos meios de pagamento existentes?

Meios de pagamentos

Dia após dia, os usuários que compram em lojas virtuais estão mais exigentes com relação às questões de segurança e opções de pagamento.

Uma grande parcela prefere pagar via boleto e a outra prefere escolher entre as diversas bandeiras dos cartões de crédito existentes. Sendo assim, é importante disponibilizar os mais variados meios de pagamento, a fim de evitar a perda de vendas preciosas por conta da carência de alternativas.

Formas de receber pagamentos online:

Intermediadores de pagamento

Os intermediadores de pagamento são os mais indicados para pequenas e médias lojas virtuais, pois eles assumem o risco de fraude e fazem o adiantamento de recebíveis. No entanto, eles costumam cobrar uma taxa fixa por cada transação. Além de empregar um tempo maior na aprovação do pedido.

O grande diferencial dos intermediadores de pagamento é que os proprietários das lojas não necessitam assinar um contrato com bancos e empresas de cartões de crédito.

Entre os principais intermediadores de pagamento podemos citar o Paypal, o PagSeguro, o Mercado Pago e o Bcash.

Gateways de pagamento

Os gateways interligam as lojas virtuais com os métodos de pagamento. Enquanto o lojista estabelece o contato com os bancos e as operadoras de cartão de crédito, o gateway estabelece a comunicação entre o e-commerce e os sistemas bancários. Desta maneira, os pagamentos realizados pelos usuários são transferidos automaticamentes para a conta do administrador da loja.

Neste meio de pagamento o lojista será sempre o responsável por aprovar a compra, definir as formas de parcelamento e estar preparado para assumir o risco de cada compra.

Integração direta com o adquirente

Nesta modalidade, as transações são feitas diretamente com o cliente. Desta maneira, não existem taxas a pagar pelo lojista, somente as habituais, cobradas pelas operadoras do cartão.

A integração direta é indicada para e-commerces que tenham uma equipe de desenvolvimento sempre à disposição. Isso porque, apesar de poder negociar quais taxas devem ser pagas, sua empresa terá de investir pesado em segurança para garantir uma transação segura.

Marketing Digital

A falta de acessos e, consequentemente, a falta de clientes, talvez seja a maior razão para que diversos e-commerces fechem suas portas. O ambiente digital é muito competitivo. No entanto existem diversas maneiras de levar tráfego qualificado às lojas, a fim de evitar esse cenário negativo.

Adwords

O AdWords é uma dessas maneiras. Com o objetivo de levar usuários qualificados para o e-commerce de acordo com os termos selecionados, ele funciona como um programa de leilão de palavras-chave.

A abrangência do AdWords é um dos recursos que mais gera resultados para lojas virtuais. Isso porque os anúncios podem ser exibidos nos resultados de pesquisa, em sites e blogs que são parceiros do Google (Google adsense), Google Shopping e YouTube.

O custo por clique (CPC) vai depender muito das configurações e otimizações das campanhas, qualidade da página de destino, concorrência dos termos escolhidos, entre outros.

O correto é investir em palavras-chave específicas para garantir que a taxa de conversão seja alta. Não o número de cliques. Uma importante dica para quem está começando é estrear com pequeno investimento e, com o tempo e muito aprendizado, investir em palavras com maior concorrência.

Nesse sentido, é interessante abordar as palavras-chave que transmitam a necessidade e o tipo de atividade do e-commerce. Por exemplo, a loja virtual atua com produtos industriais, especificamente com a produção de fritadeira elétrica industrial. Com isso, é possível utilizar o material como uma palavra de otimização.

SEO (Search Engine Optimization)

O principal objetivo do SEO é conseguir as melhores posições nos resultados de busca para as palavras-chave relacionadas ao segmento no qual o negócio está inserido. As otimizações de SEO são compostas por diversas técnicas que podem ser conferidas neste post.

Estar em uma boa posição para as palavras-chave do segmento significa um grande aumento no número de acessos qualificados ao site. Isso porque a busca orgânica é considerada a mais confiável pelo usuário.

Para conseguir as melhores posições, o site precisa adquirir uma certa relevância. Essa tarefa é difícil e demorada, mas essencial para lojas que estão no início do projeto.

Para dar início à estratégia, o ideal é investir em conteúdo de qualidade para o público-alvo. A criação de um blog pode aumentar drasticamente a relevância da loja. Mas, além disso, é preciso fazer as otimizações OnPage do site.

Nesse sentido, as técnicas de SEO estão essencialmente conectadas a otimização e posicionamento da marca. Por isso, a produção de conteúdo relevante e a definição das palavras-chave são ações tão importantes. Como no exemplo mencionado anteriormente, as palavras podem abranger o segmento de atuação, como uma empresa de tratamento de água.

Outra dica importante para um bom desempenho de SEO é a criação de uma estratégia de link building, considerado um dos principais fatores de ranqueamento para o Google. Para uma explicação mais detalhada a respeito deste tema, sugerimos a leitura do post sobre como montar uma boa estratégia de link building.

E-mail Marketing

Já faz algum tempo que especialistas de marketing digital previram o enfraquecimento do e-mail marketing, que daria lugar a outra mídia. No entanto, os dados mostram que o e-mail marketing está longe de morrer.

Quando bem trabalhada, esta ferramenta pode alavancar os negócios, conduzindo o consumidor às compras e mantendo as lojas na memória do público-alvo. E tudo isso com um custo relativamente baixo.

O e-mail é uma ferramenta simples de utilizar. Depois de muito tempo de uso, foi possível comprovar que alguns formatos geram melhores resultados para o anunciante do que outros. É o caso das campanhas de carrinhos abandonados, da divulgação de promoções e da fidelização de clientes.

No início de um projeto de e-commerce o ideal é usar uma plataforma gratuita e realizar vários testes. Dependendo do número de leads. Após o envio dos e-mails, é preciso verificar os picos de acesso e compras oriundas deste canal. Também é preciso disponibilizar um campo de captura de e-mail no site.

Redes Sociais

Vale a pena investir em redes sociais? Para descobrir se essa resposta é afirmativa, o recomendado é fazer uma boa análise do público-alvo. Além de checar o que a concorrência está fazendo. Somente assim será possível decidir o melhor caminho a ser tomado na escolha do conteúdo, bem como as ferramentas que poderão ser utilizadas.

Segundo pesquisas do IBOPE, referente ao público que realiza compras em lojas virtuais, homens e mulheres possuem uma participação quase igual – Mulheres com 49% e homens com 51%. Mas quando falamos em redes sociais, as mulheres demonstram maior interesse e influência.

Além disso, aproximadamente 57% dos usuários que compraram em lojas virtuais alegam que acessam as redes sociais diversas vezes ao dia, em busca de mais informações sobre a loja e os produtos que desejam comprar.

Pensar em uma rede social bem planejada para um e-commerce, com conteúdo sobre a marca, produtos e assuntos relevantes do interesse do público-alvo, pode ajudar muito no processo de compra.

Dessa forma, é importante destacar a importância das campanhas nas redes sociais, uma vez que elas são canais poderosos de comunicação. Com isso, se uma loja está constituída em um nicho de uniforme nr10 e tecidos em geral, o responsável pode realizar uma descrição mais ampla dos produtos e serviços.

Para dar início a esse investimento é preciso entender a ferramenta e os benefícios que ela pode trazer para os negócios. Os principais pontos a se atentar no começo de cada estratégia são: a escolha do melhor canal, o formato e a linguagem que será utilizada.

Logística e frete

A logística e a forma como os produtos serão entregues ao consumidor são muito importantes para o sucesso do e-commerce. Isso porque uma má experiência tende a marcar o consumidor, fazendo com que o mesmo nunca mais volte e ainda teça críticas para os amigos e em redes sociais. Resultando na má reputação da loja.

Por conta desses pontos é preciso reservar um tempo só para o planejamento e para a definição de como serão entregues os produtos.

As maneiras mais comuns de realizar entregas são:

Correios

Os correios, como é de conhecimento de todos, oferecem o meio mais comum de realizar entregas em todo o Brasil. Entretanto há um limite de 30kg por envio. E dependendo do nicho, a entrega não é viável. Fora o limite de peso e de dimensões, há também o risco dos produtos serem extraviados por conta de greves ou outras paralisações.

Por essa razão, se você atua com nicho e fornece produtos como máquina de solda mig, por exemplo, avalie se essa opção é realmente viável para o seu tipo de negócio.

Transportadoras

Mais estáveis que os correios, com as transportadoras o risco de greves e paralisações é muito menor. Além disso, o transporte via transportadoras não possui limite de tamanho e peso. No entanto, essa opção não é a mais indicada quando a operação estiver no início e os produtos unitários forem de pequenas dimensões.

A busca por informações acerca de como montar um e-commerce deve ser intensa. Não só no início do projeto mas durante todo o processo. Neste post somente foram separados os pontos básicos com informações da abertura da loja. Mas é preciso estar atento às novidades disponibilizadas em sites específicos. Além de fomentar a troca de conhecimento com outras pessoas que estejam passando pelo mesmo desafio.

Caso tenha ficado com dúvidas sobre como montar um e-commerce ou queira fazer alguma ressalva, por favor, utilize o campo de comentário abaixo.

Até a próxima!

[sc:jackson-belink ]

[optinform]