Etnografia aplicada às Mídias Sociais - Blog Raffcom
 Etnografia aplicada às Mídias Sociais

Etnografia aplicada às Mídias Sociais

No post o que é etnografia? você conheceu um pouco mais sobre essa área fascinante, que estuda e descreve o comportamento de um determinado grupo através da antropologia e sociologia. Agora chegou a hora de entender e desmistificar conceitos culturais específicos que surgem na etnografia aplicada às mídias sociais, além de responder questões sobre o ciberespaço.

No Blog Insightee o conceito sobre ciberespaço é definido como um novo local de interação online entre as pessoas e que possui um impacto bem relevante na produção de valor, nos conceitos étnicos, morais e nas relações humanas.

E é nesse local que iremos aplicar as três estratégias etnográficas (Mobilidade conectiva, Mapeamento e visualização de dados, Geração de insights) vistas no post anterior.

Essas ferramentas irão auxiliar você na observação e análise das mídias sociais.

SEIS PROCESSOS IMPORTANTES PARA O ESTUDO ETNOGRÁFICO

Os processos devem ser levados em conta quando pensamos em aplicar o estudo Etnográfico no ciberespaço. E respeitá-los é de suma importância para que o resultado seja positivo.

1- Observação continuada;
2- Interpretação;
3- Reflexividade;
4- Redes;
5- Situação;
6- Processos.

Os estudos apontam que devemos focar nas situações que surgem nas redes e não nos agentes especificamente, pois se entende que eles são modelados e influenciados pelo acontecimento.

Portanto, essas seis palavras-chave que você acabou de conhecer mostram que o foco deve ser colocado na ação, pois é nela que será possível encontrar os conflitos e padrões que servirão de insumo para o estudo etnográfico.

CRIAÇÃO DE PERSONA

A buyer persona é a representação do público-alvo ou cliente que se quer alcançar. Ele é definido por meio de dados reais sobre comportamento e características demográficas, assim como a criação de um storytelling que contextualiza a persona em um cenário mais realista.

DIFERENÇA ENTRE PERSONA E PÚBLICO-ALVO

É preciso ter conhecimento da diferença entre persona e público-alvo, isso porque, em determinadas ocasiões, você precisará de um ou de outro. Veja a diferença com o exemplo abaixo:

  • Público-alvo: homens, de 18-34 anos, namorando, graduados em Administração, com renda média mensal de R$ 2.500,00;
  • Persona: Paulo tem 18 anos, mora em São Paulo e recentemente se formou em Administração na FGV. Ele está à procura de trabalho e quer trabalhar numa multinacional, pois pretende morar fora do Brasil daqui a 5 anos. Paulo quer se aprimorar em Comércio Exterior, pois acredita que ter esse know-how será decisório quando voltar ao Brasil. Ele também pretende abrir o seu próprio negócio.

Viu como há diferença? Os dois são relevantes, mas cabe a você identificar qual das opções atenderá a sua necessidade.

FONTE DE INFORMAÇÃO

As mídias sociais, assim como a internet, são lugares onde você encontra os agentes (personas), descobre as situações ou ações e define os padrões de assunto.

Por isso, são um dos melhores lugares para você captar insumo a fim de criar a sua persona. Mas vale se preocupar com alguns pontos que são decisórios para a seleção do ambiente analisado.

  1. Ciberespaço: primeiro faça a pergunta: o Twitter possibilita infraestrutura para que haja avaliação, coleta e análise de dados?
  2. População: o espaço analisado precisa ter volume e complexidade suficiente para que a análise seja consistente.
  3. Know-how: é muito importante que haja profissionais engajados e com conhecimento para executar um estudo etnográfico completo.

A etnografia é uma área que pode auxiliar na adequação de cada produto às reais necessidades de consumo, além de aumentar o nível de precisão dos processos. Desta forma, conhecer o perfil e comportamento do seu consumidor é essencial para o sucesso do seu projeto.

Continue acompanhando as próximas postagens aqui no Blog da Raffcom e aprenda mais sobre o universo multifacetado do Business Intelligence.

Nos vemos em breve! ;)

REFERÊNCIAS

Etnografia e consumo midiático: novas tendências e desafios metodológicos
O que aprendi no curso Etnografia em Mídias Sociais, do IBPAD
Persona: como e por que criar uma para sua empresa
Marketing etnográfico: colocando a etnografia em seu devido lugar

Cadastre seu e-mail
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
Coloque o seu e-mail ao lado para receber as atualizações do blog!
Fique tranquilo, pois nós também odiamos spam. Seu endereço de e-mail não será vendido ou compartilhado.
Continue lendo

Estratégia em redes sociais: você está conversando com seu público-alvo

Conhecer a fundo o perfil do público-alvo — suas necessidades, desejos e motivações — é primordial para o desenvolvimento de qualquer estratégia em redes sociais de sucesso. No entanto, para muitas empresas, “acertar o tom” da conversa ainda é um grande desafio. Afinal, antes de investir em táticas de venda e apresentação do produto, é […]

Conheça os principais Formatos de Anúncios TrueView no YouTube

Hoje irei escrever sobre anúncios do formato TrueView. Estes anúncios aparecem antes dos vídeos que você assiste no YouTube ou nas outras sugestões. Existem alguns formatos para anunciar, confira dois vídeos explicativos aqui. Estes são os formatos dos anúncios: Por que é importante anunciar no YouTube? Essa estratégia é muito relevante, pois além de permitir uma […]

Pixel do Facebook: O que é e Como Instalar Corretamente

Uma das grandes vantagens do marketing digital é a possibilidade de otimizar e mensurar campanhas publicitárias. Porém, para poder aproveitar este benefício, é necessário a correta instalação de tags e códigos no seu site e uma destas tags é o Pixel do Facebook. Ao finalizar a leitura deste conteúdo, você irá compreender a importância do […]

Usando o Google Tag Manager (GTM)

No dinamismo em que as coisas acontecem no universo digital, é muito importante termos opções que maximizem nosso fluxo operacional e, o Google Tag Manager, auxilia nisto com perfeição. A ferramenta permite a autonomia dos profissionais atuantes nas áreas de Marketing Digital, fazendo com que deixem de lado aquela certa “dependência” de webmasters e de empresas terceirizadas que […]