O que é etnografia? Blog Raffcom - Agência Full Service
 O que é etnografia

O que é etnografia

Mais do que um estudo, a etnografia é o registro descritivo da cultura material de um determinado povo, com o intuito de descrever seus costumes e tradições. Mas, o que isso tem a ver com o BI?

Nos últimos posts referentes à área de Social Analytics, você aprendeu como iniciar o monitoramento de uma marca nas mídias sociais e também a separar os assuntos mais tendenciosos e polêmicos dos neutros. Certo?

Agora chegou a hora de você se aprofundar nos aspectos práticos e sociais relacionadas à internet. Ou seja, entender e desmistificar conceitos culturais específicos nascidos dos grupos de pessoas nas mídias sociais.

Não se preocupe, o assunto parece complexo, mas no decorrer do texto iremos apresentá-lo de maneira tranquila.

Dentro desse contexto, é importante observar as mudanças de comportamento de consumo de mídia no Brasil e mundo. Segundo Maria Helena Fernandes, Gerente de pesquisas do Google, a preferência pelas pessoas é por canais que oferecem curadoria de conteúdo, educação e que centralizam assuntos “pop”, “novo” e “cool”.

Com 42%, a mídia que mais atendeu a esse conceito foi o YouTube.

youtube o que e etnografia - O que é etnografia

Fonte: E-commerce Brasil, 2017.

Assim, na medida em que a internet se tornou uma tecnologia de fácil acesso para quase toda a população, as pessoas tornaram-se capazes de influenciar umas às outras, de novas maneiras, formando grupos sociais com características peculiares que os diferem.

Veja os grupos em destaque:

Música
Gastronomia
Gaming
Moda e Beleza
Futebol

Fonte: YouTube Insights 2017.

Por isso, através da Etnografia é possível saber em detalhes que tipos de mudanças estão ocorrendo nas organizações, no engajamento das pessoas com a mídia social e também quais são os efeitos causados em nossa cultura.

Em suma, a Etnografia ajudará você a compreender o impacto das mídias sociais na vida das pessoas e também no surgimento de novos comportamentos.

3 estratégias etnográficas para você utilizar

Antes de falarmos sobre as estratégias de um Etnógrafo, é importante lembrar as transformações que a internet causou e continua causando na vida das pessoas.

Hoje, por exemplo, não falamos mais em “ficar on-line” como uma espécie de viagem para um lugar distante. Ao invés disso, usamos a internet o tempo inteiro para realizar nossas tarefas diárias, como comprar produtos, ler matérias em blogs e portais de notícias, encontrar amigos e desfrutar de entretenimento.

Portanto, a missão do Etnógrafo de mídias sociais é descobrir a influência que a internet e outros meios têm sobre o comportamento dos grupos específicos de pessoas inseridos nas mídias sociais. Por isso, é preciso entender como os dispositivos móveis potencializaram a comunicação entre as pessoas.

Separamos três estratégias que podem lhe ajudar no início dos estudos Etnográficos. Veja eles!

Estratégia 1: mobilidade conectiva

Além do estudo micro, que será feito nas mídias sociais, com subdivisões de grupos e definição de personas, é muito importante que você não se atenha apenas a esse espaço. Recomenda-se explorar novos canais e ir além, para complementar seu entendimento sobre determinado comportamento.

Exemplo:

Grupo

  • Mulheres, entre 25-34 anos, cidade de São Paulo, pico de engajamento às 20h30, Instagram mídia mais utilizada, trend/assunto do momento London Fashion Week, período estudado setembro de 2017.

Fonte: Informações retiradas através das ferramentas de Social Analytics.

Persona

  • Lilian, tem 30 anos, mora na cidade de São Paulo, é casada e tem um filho. É uma mulher empoderada, muito independente e gosta de se vestir bem. Ela acompanha os blogs e notícias sobre as semanas de moda, pois quer saber qual é a cor do momento, quais são os cortes e caimentos mais diferentes, os quais ela poderá incorporar ao seu guarda-roupa.

Fonte: Google Trends.

Enfim, você viu como é importante ir além do espaço estudado e buscar novas informações que agregam relevância no que tange o comportamento e perfil do grupo estudado.

Bom, esse é o primeiro passo a ser seguido para agregar mais informações ao grupo estudado.

Estratégia 2: mapeamento e visualização de dados

É preciso utilizar técnicas de Business Intelligence e Big Data para mapear as atividades on-line e, assim, realizar a “topografia de campo”. Este termo refere-se ao recorte mais aprofundado de um grupo de pessoas interconectadas e presentes no ambiente das mídias sociais.

Há ferramentas no mercado que vão te ajudar a visualizar o terreno de uma maneira mais ampla e rápida, ou seja, elas foram criadas para automatizar a operacionalização de captação e processamento de dados.

Confira a seguir uma ferramenta de mapeamento de perfil comportamental.

NodeXL

NodeXL Facebook Marc Smith - O que é etnografia

O NodeXL é um criador de gráficos para Excel, que consegue visualizar os contatos da conta em redes sociais. Ou seja, ele te dá a chance de saber como surgiu a ligação entre pessoas e determinados assuntos, por exemplo.

Experimente e faça o download.

Estratégia 3: geração de insights

Esse é o momento em que o Etnógrafo deve fazer todas as possíveis conexões com o ambiente estudado, para que haja interpretação das informações e, por consequência, ocorra o surgimento dos insights.

Leve em consideração as diferentes experiências e estudos que podem surgir a partir da simples escolha de analisar o comportamento de um grupo que utiliza sistema operacional iOS ou Android, por exemplo.

Como dica, gosto sempre de dizer que devemos buscar aquilo que não sabemos. Ir a fundo nos pontos que nos incomodam ou que nos chamam atenção, aqueles que podem sair do comum. Busque conflitos e não padrões. Veja o potencial que há ao seu redor.

Agora que você já sabe o que é Etnografia, perceba que é possível explorar ainda mais o Monitoramento de Mídias Sociais (MMS) com ela. Para isso, analise a fundo o comportamento e experiências dos usuários em cada rede, dividindo-os por grupos de personas e atribuindo suas características.

Continue acompanhando as próximas postagens aqui no Blog da Raffcom e aprenda mais sobre o universo fascinante da análise comportamental dos usuários nas mídias sociais.

Até breve! :)

REFERÊNCIAS

Etnografia e consumo midiático: novas tendências e desafios metodológicos
Análise de emoções nas mídias sociais: a etnografia como método de pesquisa para este campo de estudo
Etnografia e análise de redes sociais: uma ótima combinação

Cadastre seu e-mail
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
Coloque o seu e-mail ao lado para receber as atualizações do blog!
Fique tranquilo, pois nós também odiamos spam. Seu endereço de e-mail não será vendido ou compartilhado.
Continue lendo

Estratégia em redes sociais: você está conversando com seu público-alvo

Conhecer a fundo o perfil do público-alvo — suas necessidades, desejos e motivações — é primordial para o desenvolvimento de qualquer estratégia em redes sociais de sucesso. No entanto, para muitas empresas, “acertar o tom” da conversa ainda é um grande desafio. Afinal, antes de investir em táticas de venda e apresentação do produto, é […]

Novo Formato de Campanhas “Somente para Chamada” no Google AdWords

O Google AdWords lançou recentemente uma nova função para quem visa aumentar o recebimento de chamadas telefônicas em anúncios. Agora é possível criar uma campanha com foco total em chamadas telefônicas, concentrando os esforços para atrair pessoas que cliquem em ligar diretamente no anúncio. Com isso, essa campanha utilizará de um tipo de lance diferente […]

Como fazer Social Analytics

Agora que você conheceu o significado desta área, que vai muito além do monitoramento de mídias sociais (MMS), é hora de entender como fazer Social Analytics. A principal mudança que ocorreu nos últimos anos, principalmente a partir de 2010, foi a relevância que as tarefas de inteligência ganharam para os negócios. Old Social Analytics Analyst: […]

Usando o Google Tag Manager (GTM)

No dinamismo em que as coisas acontecem no universo digital, é muito importante termos opções que maximizem nosso fluxo operacional e, o Google Tag Manager, auxilia nisto com perfeição. A ferramenta permite a autonomia dos profissionais atuantes nas áreas de Marketing Digital, fazendo com que deixem de lado aquela certa “dependência” de webmasters e de empresas terceirizadas que […]