O que um profissional de Business Intelligence faz? - Agência Full Service
 O que um profissional de Business Intelligence faz?

O que um profissional de Business Intelligence faz?

Mesmo depois de entender o que é o Business Intelligence, também chamado de BI, as pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre como é a carreira de um profissional que atua nessa área.

Questionamentos como “Quais são as atividades diárias de um Profissional de Business Intelligence?” ou “Qual formação acadêmica eu preciso ter para trabalhar nessa área?” são normais no cotidiano de qualquer profissional que lida com a inteligência de dados e informações.

Como forma de esclarecer essas dúvidas, este post tem como objetivo explicar como é o dia a dia de um profissional de BI e qual a formação ou curso profissionalizante é essencial.

Tem interesse em trabalhar nessa área? Então esse artigo é perfeito para você!

As competências que um profissional de Business Intelligence precisa ter

Engana-se quem acha que ter conhecimento em tecnologia da informação ou sistemas é o suficiente para atuar na área de BI.  Na verdade, esse profissional necessita conhecer diversas outras áreas para poder realizar um bom trabalho, como o mercado financeiro, de logística, negócios e contábil.

Isso abre uma oportunidade para muitos profissionais, que tenham em sua grade curricular disciplinas com essas afinidades para ingressar no ramo da inteligência de informação. Exemplos disso são profissionais das áreas administrativas, de marketing, contabilidade, matemática, ciência, sistemas de informação e física, que conseguem espaço nesse mercado tão buscado pelas empresas atualmente.

Aos interessados, é importante entender que além de entusiasmo, paciência, persistência e muita vontade de aprender, para ser um profissional de BI é preciso seguir mais alguns pré-requisitos:

  • Conciliar teoria a prática: em um cenário atual, a verdadeira aprendizagem se dá na junção desses dois pilares.
  • Conhecer as ferramentas e métodos tecnológicos disponíveis: acompanhar o andamento das novidades lançadas no mercado e estar em sintonia com a inovação.
  • Estudar o DataWarehouse: é a grande base do Business Intelligence e deve ser estudado a fundo. Veja as principais referencias sobre o DataWarehouse: Business Dictionay, DevMedia, DataWarehouse4u, Data Warehouse, Oracle e Gartner.
  • Ter conhecimento em tecnologias de banco de dados: como já dito, é preciso ter conhecimento em diversas tecnologias, principalmente em bancos de dados, incluindo a modelagem de dados. Veja as principais referências sobre a modelagem de dados: DavMedia, Macoratti, Uni Livros e FAA.

Por último, além de buscar novas habilidades e conhecimento sobre tecnologias é necessário que você tenha amor e paixão naquilo que faz. É isso o que vai diferenciar um profissional amador de um expert.

O mercado de BI está em constante crescimento

Há algum tempo a área de BI vem ganhando força no mercado e agora, mais do que nunca, as empresas querem tomadas de decisões precisas e que tenham um índice menor de risco, para enfrentar oportunidades, crises econômicas e a própria concorrência de maneira mais inteligente. É nesse cenário que o profissional de Business Intelligence se torna essencial.

Como a maioria das organizações depende de informações estratégicas para se posicionar no mercado, fidelizar o público e conquistar novos clientes, ter um profissional que consiga se adaptar aos processos de negócios da empresa é muito importante. Diante disso, o profissional de BI é quem transforma as fontes de informação em relatórios tangíveis, tornando as decisões dos profissionais muito mais coerentes com o core business* da empresa.

*core business: é o centro de todo o trabalho realizado por uma empresa, seu produto ou serviço.

Quais são as atividades diárias de um BI?

Para esclarecer um pouco mais como funciona a área de BI, a seguir será apresentado as principais atividades que um profissional de inteligência de dados pode realizar.

Mas lembre-se: não se restrinja apenas a elas, pois esse campo abrange muitas outras possibilidades.

1- Elaboração de pesquisa de tendências de mercado

É o estudo que coleta dados e informações que possam identificar oportunidades de mercado ou possíveis problemas. Vale lembrar que os pontos a seguir irão variar de acordo com o segmento da empresa e objetivo da pesquisa.

Tipos de pesquisa de mercado:

  • Análise do comportamento e perfil dos consumidores/clientes;
  • Estudo dos hábitos e frequência de consumo;
  • Levantamento de estilos de vida;
  • Potencial de mercado;
  • Análise de vendas por perfil de compradores;
  • Tendências de negócios e diferenciais;
  • Imagem da marca e empresa.

2- Acompanhamento de inovações tecnológicas e marketing digital

Buscar constantemente informações relevantes para o seu negócio ou projeto, a partir do monitoramento diário de notícias e estudos disponíveis em portais confiáveis, é uma atividade essencial para quem tem interesse nessa área.

Assuntos sobre tecnologia, tendência, hábitos ou outros fatores que possam interferir no comportamento social das pessoas, precisam fazer parte da sua pesquisa, pois entender o que está acontecendo ao redor do mundo ajuda você a traçar um planejamento mais coerente e eficaz.

Confira algumas referências onde você pode pesquisar:

3- Organização e tratamento de informação

Diariamente, somos bombardeados com inúmeras informações em artigos, blogs e sites de notícias. Isso é muito bom, pois o fluxo de dados é contínuo e nunca para, fornecendo sempre novos dados e oportunidades a serem exploradas. O problema é que as informações chegam “soltas”, ou seja, não apresentam um passo a passo de como podem resolver o problema do cliente.

É nesse momento que entra o profissional de BI, que organiza e liga todos os dados de maneira com que eles consigam fazer parte de um plano de ação estratégico com enfoque em resultados, pois é necessário analisar e interpretar tudo para que a pesquisa vire uma informação valiosa.

Para ajudar você a entender um pouco mais sobre essa fase de organização de dados, sugiro que confira o Framework de Inteligência Competitiva (IC) que desenvolvi.

4- Monitoramento de mídias sociais (MMS)

Atualmente, as mídias sociais são vistas e utilizadas como verdadeiras fontes informacionais para investigar o comportamento dos usuários sobre diversos aspectos, como um assunto ou até mesmo uma marca. Portanto, elas podem responder alguns questionamentos importantes que o profissional de BI tanto busca:

  • Como o conteúdo é abordado em cada rede social?
  • Qual é a linguagem usada na comunicação?
  • O que causa maior buzz para uma marca: uma linguagem mais institucional ou descontraída?

*buzz: é uma ideia que se espalha rapidamente engajando as pessoas.

5- Análise preditiva

Atualmente, essa análise é uma das principais ferramentas de trabalho do profissional de BI, auxiliando a conhecer e definir padrões que podem influenciar em resultados futuros.

Esse método de pesquisa utiliza como base funções matemáticas e estatísticas capazes de mapear dados de um determinado cenário. Através disso, é possível identificar possíveis futuras tendências, conseguindo se posicionar de maneira mais assertiva.

Resumidamente, não é prever exatamente o que vai acontecer no futuro, mas sim ter uma boa ideia dos acontecimentos que estão por vir, tudo isso graças ao cruzamento de dados e informações coletados no passado.

6- Análise da concorrência

Ter conhecimento da concorrência é um fator relevante para o planejamento estratégico, pois saber das forças e fraquezas dos concorrentes auxilia na construção de um plano de ação mais pontual, dessa forma, criando uma vantagem competitiva.

Uma dica importante é prestar atenção nos seus concorrentes potenciais e nas marcas que podem substituir você no mercado, pois nem sempre aqueles que vendem o mesmo produto ou serviço que você merecem a sua atenção. Enxergue o mercado de uma forma ampla, com uma visão macro do cenário.

Veja os 5 passos para monitorar a concorrência:

  1. Identifique: pesquise na internet o máximo de informações possíveis em sites, mídias sociais e em fóruns;
  2. Aprenda com o erro dos outros: monitore as mídias sociais do seu concorrente, esse tipo de canal é o mais adequado para você conferir o que as pessoas estão falando sobre a empresa e como o concorrente se comporta em relação aos comentários;
  3. Modele estratégias: defina seu público-alvo, modelo de negócio praticado, média de preços, sua localização e as ações de comunicação com o mercado. Após isso, compare diretamente com as características dos concorrentes identificadas e trace ações estratégicas para diferenciar o seu negócio de forma positiva;
  4. Visualize oportunidades de mercado: tenha como meta diária o acompanhamento das tendências de mercado e inovações tecnológicas, e monitore constantemente informações qualificadas que apoiam suas decisões estratégicas;
  5. Participe de eventos: estar presente em eventos, feiras e associações de classe, pode ser uma excelente oportunidade para você aprender sobre quem são seus concorrentes e o que eles estão oferecendo.

Confira os principais eventos de Social Media, Marketing Digital e Inovação no Brasil e participe deles: 

Dica: Fique atento nas datas e períodos de credenciamento, afinal você não pode ficar fora dos melhores eventos!

7- Coleta e análise de dados

A coleta de dados é um importante processo na elaboração de um planejamento, por isso é muito importante que você conheça as fontes de onde irá extrair essas informações, afinal, você quer dados realmente verdadeiros.  Bancos de dados, portais de notícias, fóruns ou até mesmo em blogs de profissionais de renome são ótimos lugares para você pesquisar.

Mas além da coleta, é preciso fazer uma análise de todo material pesquisado. Por isso, selecionei 4 técnicas importantes que podem ajudar você nessa parte.

Confira:

  1. Mapas Mentais: ferramenta extremamente útil para a gestão de informações. Pode servir para você compreender e solucionar problemas, para memorizar informações, para aprender algo, para realizar brainstormings e, principalmente, para auxiliar na gestão estratégica de uma empresa. Para conferir mais informações sobre os Mapas Mentais clique aqui.
  2. Taxonomia: é um processo que classifica, categoriza e facilita o acesso à informação. A classificação hierárquica e lógica tem como objetivo auxiliar os clientes a entender como o conhecimento pode ser agrupado e organizado. Confira mais informações sobre Taxonomia aqui.
  3. Mapa de Informações Estratégicas: é uma ferramenta que auxilia na construção de um futuro ideal. O mapa de informações estratégicas agrupa dados e informações de mercado, segmento e também do próprio cliente. É utilizado para nortear os primeiros caminhos a serem seguidos quando se inicia uma Análise Preditiva. Mais informações sobre o Mapa de Informações Estratégicas você encontra clicando aqui.
  4. Árvore do Conhecimento: é uma estrutura por meio da qual são registrados temas empresarias, ramos de conhecimento e assuntos relacionados e necessários à execução de planos de ação. Podemos dizer que é a etapa seguinte do Mapa de Informações Estratégicas. Para saber um pouco mais sobre a Árvore do Conhecimento clique aqui.

8- Planejamento respeitando sazonalidade de cada segmento

É o período em que a demanda do produto ou serviço da empresa tem um grande crescimento, o que representa desafios e oportunidade de negócios. Tenha definido um planejamento coerente com esses períodos de alta demanda e aproveite ao máximo para aumentar seu faturamento ou conquistar maior visibilidade no mercado.

Confira dois calendários sazonais que podem ajudar você nisso:

Qual a formação acadêmica/profissional adequada para ingressar nessa área?

Bom, agora que você conheceu o leque de atividades que um profissional de Business Intelligence pode exercer, confira as certificações necessárias para ingressar nessa área e as principais instituições que formam esse tipo de profissional!

Além dos programas universitários, um dos meios mais viáveis de compreender os conceitos básicos de Business Intelligence é através da certificação. Há vários fatores que tornam a certificação mais vantajosa que cursos universitários.

Vantagens de conquistar uma certificação em BI

  • Programas projetados para atender necessidades de profissionais que estão inseridos no mercado;
  • Possibilidade de se especializar em áreas de tecnologia que você mais se identifica;
  • Menor tempo na conclusão comparado a cursos universitários;
  • Custo menor;
  • Ensino à distância (EAD).

Principais fornecedores de certificações em BI:

Principais instituições de ensino voltadas a área de BI:

Principal organização profissional de certificação em BI:

BI é algo que se aprende todo dia

Agora que você entendeu como é o cotidiano de um profissional de Business Inteligence, as atribuições necessárias para elaborar um bom planejamento e as principais formas de conseguir uma certificação para trabalhar nessa área, é hora de começar a praticar “BI”, o que você acha?

Comece pesquisando novas fontes de informação e monitore os acontecimentos dos cenários econômicos e sociais. Uma dica legal é participar ativamente do coffee break em eventos dessa área, pois esse é o momento perfeito para você ter contato com profissionais de grande renome e extrair ainda mais conhecimento deles.

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Entre em contato conosco, adoramos um bom networking.

Por hoje é só, mas fique atento que muito em breve nos encontraremos de novo.

Até lá!

Continue lendo

A experiência de Estágio em uma Agência de Publicidade e Propaganda

A partir do momento que você inicia o ensino superior, você deixa de lado onze anos de matérias da escola e passa a se dedicar ao aprendizado do curso escolhido, com o objetivo de se preparar para a profissão que irá seguir. Logo no início do curso, já sonhamos com o dia da formatura, a conquista […]

3 novas mídias sociais para anunciar

Após realizar todas as otimizações e estratégias necessárias, os seus anúncios nas redes sociais não estão atingindo os resultados desejados? Talvez o problema esteja na mídia escolhida para anunciar. Por isso, separamos 3 novas mídias sociais que podem servir como uma alternativa para impactar o usuário certo no local certo, transformando-o em um lead qualificado. […]

Remarketing de display: conheça os modelos e saiba segmentar corretamente

Em uma estratégia de Google Ads, as ações de remarketing trazem bons resultados ao possibilitar a exibição de anúncios a um público mais direcionado, aumentando as chances de conversão. Pensando nisso, vamos apresentar no post de hoje, uma ferramenta bastante eficiente para garantir o sucesso da sua tática de retargeting: o remarketing de display. No […]