Perfil do profissional de Inteligência Competitiva (IC)

No post anterior, sobre os Processos de Inteligência Competitiva (IC), você conheceu as três principais etapas que norteiam o fluxo de IC. É de suma importância entender como o planejamento, monitoramento e suporte andam interconectados.

Diante disso, num ambiente corporativo, o profissional de Inteligência Competitiva é o responsável por auxiliar os gestores da empresa com informações, análises e recomendações consistentes para a tomada de decisões. Sendo assim, aumenta cada vez mais a atuação do Analista de IC nas empresas brasileiras, principalmente Agências de Marketing Digital e Startups.

MAPA DAS EMPRESAS FILIADAS À ABStartups

  • São Paulo (1320) concentra o maior número de Startups, em segundo Minas Gerais (365)  e por último o Rio de Janeiro (343);
  • Web app (226) é o setor de atuação mais presente no universo das Startups, em segundo Internet (163) e logo Educação (163).

Ver na íntegra.

Para que esse profissional possa contribuir de forma efetiva nas Startups, algumas competências são requisitos fundamentais, para que o Analista de IC exerça de forma consistente seu trabalho de coleta, análise de informações e concorrência, e pesquisa de tendências globais.

5 COMPETÊNCIAS DO PROFISSIONAL DE IC

  1. Elaborar metas que apresentem o potencial de mercado da empresa;
  2. Aptidão para identificar mudanças externas;
  3. Capacidade de fazer posicionamento de negócio;
  4. Estabelecer prioridades;
  5. Capacidade de incorporar a realidade da empresa em uma tendência de mercado.

As competências abordadas acima são algumas das que se destacam entre os Analistas de IC e exigidas no mercado de trabalho. Essa área de atuação é multidisciplinar e determina que o profissional trabalhe de modo co-criativo entre vários setores, como o de engenharia, química, administrativo e entre outros.

FUNÇÕES DO PROFISSIONAL DE IC

Para a formação de uma equipe de IC é preciso conhecer o tipo de trabalho e as atribuições de cada função. Coordenador, Analista e Coletor são algumas das funções que se destacam nessa área.

Função Descrição
Coordenador
  • delegar o que cada especialista deve fazer, orientando-os nas etapas de cada processo;
  • interligar a equipe a uma problemática de inteligência;
  • repassar informações relevantes;
  • auditar os processos e produtos finais de inteligência, para que se mantenham com qualidade e padronizados;
  • manter relação com os tomadores de decisão.
Analista
  • realizar entrevistas e aplicar questionários;
  • prever tendências e observar os acontecimentos de mercado;
  • selecionar fontes de informação com autoridade;
  • identificar gaps e bugs em processos e produtos;
  • saber quando parar a análise.
Coletor
  • monitorar fontes de informação relevantes e confiáveis;
  • pesquisar e filtrar informações relevantes;
  • levantar e organizar dados e informações;
  • comunicar o Analista sobre novas tendências e mudanças de mercado.

Bom, agora que você conheceu um pouco mais do perfil do profissional de Inteligência Competitiva, veja o quanto suas atribuições podem ajudar os gestores a tomarem decisões mais coerentes e menos arriscadas. Contar com esse profissional traz competitividade para a empresa e ajuda a desenvolver uma cultura de pesquisa analítica. Continue acompanhando as próximas postagens, pois ainda será abordado mais sobre essa temática.

Até breve!

REFERÊNCIAS

Um raio-x das startups brasileiras
Oito competências e o profissional de inteligência competitiva
Perfil do profissional em inteligência competitiva: um estudo exploratório no Brasil

[sc:natan-amboni ]

[optinform]